Vereadora de Olímpia reclama do salário de R$ 4 mil e diz estar cansada

25

DL News
A vereadora de Olímpia Alessandra Bueno, do PSDB, virou assunto na cidade ao transmitir uma live, reclamar do salário de R$ 4 mil e dizer que está cansada das cobranças de eleitores para resolver assuntos particulares. No vídeo, em seu perfil do Facebook e reproduzido em outras páginas, ela se mostra transtornada e, durante mais de 10 minutos, desabafa, alegando que não aguenta mais ficar resolvendo problemas particulares dos outros.

“Porque esta vida que estou levando por causa de quatro mil seiscentos e pouco? Ah, dá licença, gente”, diz no vídeo. Veja trecho abaixo. A vereadora desabafa que não aguenta mais resolver problemas particulares dos outros e se queixa dos problemas. Usou até frases como “apunhalada pelas costas”, num nível muito baixo, tão baixo que ela, em certo momento, chega a questionar se vai voltar a se candidatar para a vereança em Olímpia.

Alessandra ficou conhecida por fazer “lives” na internet utilizando palavrões e dando lições de moral sobre zelo com o dinheiro público. Na “live” colocou como título da postagem: “No meu limite, chega. Ninguém é de ferro”.

Com cara abatida, mostrando cansaço, Alessandra começa sua gravação – da postagem feita em 22 de setembro – dizendo que passou da hora de colocar um limite na situação, pois do jeito que está não dá para continuar.

“Gente, vou falar pra vocês, a partir de hoje o meu trabalho vai ser para fazer coisas para a população que sejam focadas no que eu trabalho. Problema pessoal de vocês, a partir de hoje eu não vou resolver mais. Porque eu não aguento mais”, afirma.

E continua: “Estou estafada, cansada. Nada do que você faz está bom. Tá vendo a minha cara, como estou? Eu não durmo mais. Já não bastam os problemas que eu tenho de trabalho, que não são poucos, agora resolver o problema pessoal dos outros não dá. Aliás, eu não dou conta de resolver nem os meus problemas pessoais mais. Agora não dá pra ficar resolvendo o problema pessoal da cidade inteira. Não dá”.

Alessandra complementa: “Eu não sou a mulher maravilha. Não sou Nossa Senhora Aparecida. As pessoas estão confundindo as coisas. Você ajudar os outros é uma coisa, mas ficar vivendo os problemas de cada um diariamente é outra coisa. Minha vida é um inferno. Já não bastassem as cobras querendo me picar. Tenho que resolver os problemas das cobras, é problema dentro daquela casa de leis, é só facada nas costas”.

A vereadora insiste que não está dando para conciliar os problemas da Câmara e da cidade com os problemas particulares dos outros. “Se vocês acharem que o que eu faço não está bom, então procurem outro vereador que faça melhor do que eu. Dá um pouco de trabalho pros outros. Essa vida que estou levando por causa de quatro mil seiscentos e pouco. Dá licença. Cabeleireira, manicure ou qualquer outra profissão ganha mais que isso e não tem esse inferno de vida que eu tenho”.

Bueno disse também: “Não aguento. Você quer ser honesta, quer fazer trabalho certo e só toma fumo. Tudo tem limite e não adianta eu querer ficar fazendo graça pros outros. Querendo acabar com a minha saúde. Eu só passo nervoso. “Neguim” só quer te sugar. Tem hora que dá vontade de chegar naquela casa de lei e meter o pé no balde. E vontade não tá faltando. Eu não vivo mais”.

E concluiu: “É 100 mil aí arrancando a sua pele. Na hora que o bicho pega, vê quantas que vai lá. A partir de hoje, eu vou avisar. Quem quiser achar ruim que ache. Quem não quiser votar não vote, eu nem sei se quero mais esse inferno de vida. Tô cansada de ser sugada. A partir de agora eu vou resolver os problemas da cidade, da política, melhorias para a cidade, coisa pessoal dos outros eu não pego mais. Não dá”.

(Colaborou Folha da Região, de Olímpia)