Justiça condena homem a 13 anos de prisão por estupro de criança

46

DL News
Nesta quinta-feira, 21, a Polícia Militar deu cumprimento ao mandado de prisão expedido contra um homem condenado a 13 anos e 4 meses de reclusão pelo crime de estupro de vulnerável.

As investigações apontam que ele molestou, pelo período de um ano, uma criança de sete anos, neta da companheira dele. Os abusos aconteciam quando a menina passava o final de semana com o pai, na casa da avó.

O caso teve grande repercussão na imprensa, em outubro 2016, quando os abusos foram descobertos. Isso porque familiares e vizinhos quase lincharam o suspeito no bairro Todos os Santos. A PM chegou rapidamente e impediu que populares prosseguissem com a sessão de espancamento.

Naquele dia, 17 de outubro de 2016, ele não foi preso por não se tratar de flagrante.

De acordo com informações do processo, o homem, hoje com 60 anos, deitava-se ao lado da criança e obrigava ela a acariciá-lo, tendo também, em várias oportunidades, esfregado o pênis no órgão genital da vítima. Os abusos eram praticados mediante ameaças. O criminoso dizia para a menina que se ela contasse sobre o ocorrido para alguém, mataria a avó dela.

Chama atenção o fato de o homem nunca ter ficado sozinho com a criança na casa. Havia sempre outros familiares no imóvel, que disseram não ter percebido nada de suspeito.

A história veio à tona quando a mãe da criança, que é separada do pai, recebeu uma proposta de encontro do suspeito. Desconfiada do comportamento dele, e do silêncio da filha toda vez que voltava da casa do pai, ela confrontou a menina, que acabou revelando sobre a sequência de abusos.

Na Justiça, o homem negou o crime e acusou a mãe da criança de “armar contra ele”.

A defesa do réu tentou desclassificar o crime para importunação sexual, mas teve a tese negada pela 3ª Vara Criminal. Recorreu e também perdeu no Tribunal de Justiça.

Na tarde desta quinta-feira o homem foi preso em casa, no bairro Parque Industrial, para dar início ao cumprimento da pena.