Cartaz proíbe entrada de vereadores no prédio de prefeitura

7

SBT Interior
O aviso afixado na entrada do prédio da Prefeitura de Barretos (SP) é visível para quem passa pelo local. No cartaz, grudado em uma parede de madeira bem na guarita, está escrito a seguinte mensagem: “Vigilantes, a pedido do Secretário Tiago Abraão, estão proibidos a entrar por essa portaria os seguintes vereadores: Angelo Tegami, Rafael Oliveira, Rodrigo Malamam”. A assinatura no cartaz não deixa claro quem foi que escreveu mas a mensagem é nitida.

O vereador Rodrigo Malamam (PSDB), um dos nomes na lista proibida, teve uma surpresa ao tentar entrar no prédio da prefeitura, no dia 7 deste mês, ele havia agendado uma reunião com um secretário sobre uma verba parlamentar. Rodrigo procurou a Prefeita Paula Lemos (DEM) para explicações mas não teve resposta. O vereador também procurou o secretário de Negócios Jurídicos,Thiago Abraão, que segundo o cartaz foi quem deu a ordem da proibição, mas também não obteve explicações sobre a proibição.

Diante dos fatos, os três vereadores que foram proibidos de entrar na prefeitura, Angelo Tegami (PV), Rafael Oliveira (PRTB) e Rodrigo Malamam (DEM), fizeram um requerimento e protocolaram na Câmara que pedi o comparecimento do secretário Thiago Abraão, durante sessão, para dar explicações. O requerimento será lido na próxima semana, no dia 18.

Os vereadores também fizeram uma denuncia ao Ministério Público sobre a situação que segundo eles é absurda e criminosa. “Documentamos tudo, filmamos o cartaz, tiramos foto, entregamos ao MP todos os ofícios enviadas à prefeitura com pedido de explicação”, afirmou o vereador Rodrigo Malamam. Ainda segundo o vereador, essa atitude de proibir a entrada dos vereadores dentro do prédio da prefeitura vai contra os princípios básicos da democracia e configura improbidade administrativa, quebra de moralidade, legalidade, publicidade e impessoalidade além de ser uma atitude discriminatória que cabe ação por danos morais.

O SBT Interior procurou a assessoria da Prefeitura de Barretos para falar sobre o assunto, mas até o fechamento desta edição não tivemos retorno.